Um fim de semana prolongado e de improviso no Chile

A viagem pro Chile foi feita de improviso e nos deu a primeira ideia do que poderia acontecer com os cartões de crédito ao redor do mundo meses depois.

Decidimos passar o fim de semana em Santiago num impulso, compramos a passagem, fizemos o check-in online e, pouco mais de cinco horas depois, aterrissávamos no Chile.

Ficamos hospedados num hostel ótimo, perto do metrô Bellas Artes, do parque Cerro Santa Lucía e de uma área com dezenas de restaurantes. O albergue tinha apartamentos privados e interagíamos com outros hóspedes somente no café da manhã.

Em três dias de viagem fizemos passeios até o Vale Nevado, Valparaíso e Viña del Mar, transitando entre montanhas geladas, praias e ladeiras do porto.

No primeiro dia conhecemos a cidade caminhando pelo centro e compramos roupas de frio em brechós para poder assistir ao pôr do sol no Vale Nevado. Como fizemos a viagem de improviso, não tínhamos roupas de frio que se adequassem às exigências de uma temperatura vários graus abaixo de zero. Foi então que descobrimos uma variedade enorme de brechós no centro de Santiago, onde compramos cachecóis, casacos, gorros e luvas de qualidade e a preços irrisórios.

A experiência de dez graus negativos no Vale Nevado foi recompensada pela beleza natural, pelos contornos das montanhas e pelas gradações de luz no fim do dia. Há também uma opção de lanche – e chocolate quente – bastante satisfatória, que permite que se admire o local sem morrer de frio. Por ser outono, as pistas de esquis estavam fechadas. Ainda assim, muita gente quis explorar a neve, principalmente aqueles turistas de lugares mais quentes. Muitos desses exploradores voltaram para o hotel arrependidos, congelando no ônibus.

No segundo dia fizemos um passeio casado para Viña del Mar e Valparaíso, cidades separadas por nove quilômetros de distância. Conhecemos a congelante praia do Oceano Pacífico e no almoço comemos mariscos deliciosos no restaurante Castillo del Mar.

Em Valparaíso, destaque para os muros e paredes, quase em sua totalidade cobertos por grafites, e para La Sebastiana, uma das casas-museu de Pablo Neruda. A casa construída sobre o penhasco tem o formato de um barco e uma bela vista pro Pacífico e pro porto da cidade. Há ainda mais duas Casas Neruda no Chile: uma em Santiago (La Chiscona) e outra homônima em Isla Negra.

Sendo um morro próximo ao mar, há muitas placas indicando rotas de fuga em caso de tsunami e os terremotos são frequentes na região.

Quando estávamos pra voltar pro Rio que os problemas começaram. Como fizemos tudo no improviso e saímos correndo não tivemos tempo de trocar dinheiro. Resultado: o banco bloqueou nossos cartões, nos obrigando a entrar em contato via Skype para efetuar os desbloqueios.

Tivemos muita sorte por isso ter acontecido somente no fim da viagem. Ainda assim, tivemos que convencer um taxista de boa alma para que aceitasse o pagamento da corrida até o aeroporto em reais, que felizmente tínhamos em quantidade suficiente na carteira.

Como viajamos num impulso, nosso registro em vídeo foi realizado com um celular, sem pretensão na captação das imagens ou quanto à sua exibição. Acabamos optando por publicá-lo porque achamos uma opção melhor do que simplesmente deletá-lo.


Andes Apartments
Endereço: Monjitas Street 506
Preço: USD$ 50 diária do apartamento.
Site:  http://www.andesapart.com/


Tour Vale Nevado
Preço: CLP$ 52.000  (R$ 247) para duas pessoas


Tour Valparaiso e Viña del Mar
Preço: CLP$ 68.000 (R$ 323) para duas pessoas

Um comentário em “Um fim de semana prolongado e de improviso no Chile

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s