As surpresas de Bali, uma ilha cheia de atrativos

Enfim, chegamos à Indonésia. Sabemos que é um clichê dizer que numa volta ao mundo cada lugar trará uma surpresa. Mas mesmo tendo sido muito felizes em Tailândia, Laos, Vietnã, Camboja e Cingapura, podemos afirmar que nada pode te preparar para a Indonésia.

Inicialmente, ficamos em Ubud por duas semanas. E foi maravilhoso!

Excetuando-se o trânsito caótico quando você precisa sair de Ubud para chegar em outros destinos, a cidadezinha é um charme só. Após um boom nos anos 1990 de artesãos e artistas plásticos que rumaram para lá, Ubud se tornou o centro cultural de Bali, repleto de ateliês, galerias de arte e ripongas das mais variadas faixas etárias.

Ubud tem muitos atrativos: há uma enormidade de lojas de artesanato, de tatuagens, restaurantes e cafés (incluindo um Starbucks).

Mas suas principais atrações são os templos, a floresta dos macacos e os arrozais. Você pode entrar nos templos gratuitamente e uma boa dica é assistir à apresentação de dança balinesa que ocorre à noite. Quanto aos macacos, há que se tomar bastante cuidado com eles e com seus pertences. Vimos várias pessoas perderem bonés, óculos escuros, garrafas d’água e, pasmem, até mesmo chinelos.

Em relação aos arrozais, eles estão em todos os lugares (assim como os ateliês e os macacos). Fizemos uma caminhada rápida (de uma hora, ida e volta) pelo Campuhan Ridge e valeu muito a pena. É um caminho perto do centro de Ubud, no qual se aprecia paisagens lindas. No final, para relaxar, uma boa opção é tomar uma água de coco diante de uma vista magnífica das plantações de arroz no Karsa Kafe.

No Cafe Lotus, ao lado do Starbucks, pudemos admirar o templo Pura Taman Saraswati e seu lago belíssimo, cheio de flores. A culinária na Indonésia, assim como nos outros países que visitamos na Ásia, é deliciosa, mas é preciso tomar cuidado com a pimenta: mesmo quando a garçonete diz “Not spicy”, ainda assim a comida pode ser muito apimentada. O prato tradicional é o Nasi Goreng (arroz com frango e ovo frito), mas, se você está tentando comer de forma mais saudável, Ubud é o lugar. Com várias opções de restaurantes vegetarianos, sempre há uma comida no cardápio deliciosa e natural.

Fizemos dois passeios de táxi: no primeiro, tentamos conhecer vários lugares em meio dia e foi um erro. Não esperávamos ficar tanto tempo no trânsito de Bali. Fomos almoçar na praia de Jimbaran e não gostamos. A água do mar era escura, com muitos barcos e parecia poluída. Paramos em um restaurante indicado pelo taxista, outro erro. Era um churrasco de frutos do mar caríssimo, o restaurante era super simples e a comida não justificava o preço abusivo.

Depois fomos para outra praia, chamada Padang Padang, que era bem mais bonita. Entretanto, como perdemos muito tempo no trânsito e queríamos assistir ao pôr-do-sol no templo Uluwatu, não pudemos aproveitar muito.

No outro passeio, fomos até Tanah Lot somente para assistir ao pôr-do-sol, considerado imperdível. Há várias barraquinhas vendendo todo tipo de souvenir e a vista é incrível, um cenário surpreendente e belíssimo.

Em comum aos dois passeios, uma beleza indescritível (a praia, os templos, o sol se pondo no mar com as ruínas em silhueta) e um trânsito infernal. Contabilizamos, somando os dois dias, umas dez horas dentro do carro. Vale a pena, porque realmente é tudo muito bonito, mas tem que ter paciência.

Além disso, outro passeio que fizemos foi uma trilha até o vulcão Batur, cuja saída do hotel se deu às 2h30. Depois, mais duas horas de trilha morro acima para vislumbrar um lindo nascer do sol do alto do vulcão. Estamos acostumados a fazer trilha, mas essa foi uma das mais impressionantes que vivenciamos. Como se sobe na completa escuridão, não se tem noção do que te espera lá no alto. Então, quando o sol nasce e começa a refletir no lago Batur, é possível ver o mar de um lado e a cratera com lava de outro, o que compensa todo o esforço. Aviso: a trilha é cansativa, muita gente ficou para trás e desistiu no meio do caminho.

Há que se ter paciência com um ponto “negativo” de Ubud: é impossível caminhar sem que se ouça o tempo todo “Taxi?”. E, quando você nega, vem o complemento: “Tomorrow?”. Mais uma negativa e, no segundo seguinte, mais um balinês te abordará com o mesmo procedimento e a(s) mesma(s) pergunta(s).

Durante a semana, Ubud é mais tranquilo, e tem bem menos estrangeiros. Talvez devido ao filme com Julia Roberts (Comer, rezar, amar), nos finais de semana a cidade lota de turistas. Muita gente “bonita e descolada” (principalmente, grupos de mulheres) vai até a cidade para conhecer de perto a locação. E talvez para descolar um grande amor. Por causa do filme, brasileiros saem na frente.

Ubud também é um bom lugar para relaxar e há uma casa de massagens e de ioga a cada esquina. Praticamos no Yoga Barn e adoramos. Lá há um espaço enorme com aulas todos os dias, além de cursos, filmes e palestras. Você pode pagar por uma aula avulsa ou comprar um cartão com várias aulas, escolhendo o melhor horário e técnica de sua preferência. Quanto à massagem, após a trágica experiência tailandesa, ficamos um pouco receosos de fazer nos outros países. Mas, depois da trilha cansativa do vulcão Batur, merecíamos uma recompensa. E foi sensacional! A massagista te aperta em todos os pontos, sem sofrimento, dos dedos dos pés ao couro cabeludo. Saímos renovados!

Momento Perrengue: numa sexta-feira, um dos caixas eletrônicos “engoliu” um de nossos cartões de crédito. Fomos ao banco informar e nos foi dito que apenas na segunda-feira poderiam nos devolver o cartão. Voltamos lá no dia marcado e disseram que nenhum cartão havia sido encontrado. Ligamos para nosso banco no Brasil para solicitar o bloqueio e pedir que enviassem outro cartão. O banco estipulou um prazo de 10 dias úteis para o envio. Após esse prazo, entramos em contato com o banco e nos foi informado que não constava solicitação alguma. Portanto, nada havia sido enviado e estamos até agora sem o cartão. Já pedimos novamente e esperamos recebê-lo na Austrália. 


Brata Inn
Endereço: Jalan Wenara Wana, Indonesia
Preço: RP$ 400.000 = R$ 94 a diária
Sitebratainn.com


Semujan Bungalow
Endereço: Jalan Bisma, Ubud, Bali, Indonesia
Preço: RP$ 300.000 = R$ 70 a diária
Telefone: (0361) 977892


Templo Uluwatu
Endereço: Jl. Batu Nunggul, Uluwatu, Badung
Preço: RP$ 20.000 = R$ 4,70


Templo Tanah Lot
Endereço: Bali 82171, Indonesia
Preço: RP$ 30.000 = R$ 7
Sitewww.tanahlot.net


Sunrise trekking Batur Volcano
Preço: RP$ 300.000 = R$ 70
O carro pega na pousada, café da manha e guia


Yoga Barn
Endereço: Jalan Raya Pengosekan Ubud, Ubud, Bali 80571, Indonesia
Preço: RP$ 300.000 = R$ 70 (3 aulas)
Sitewww.theyogabarn.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s