Dias felizes em Chiang Mai

Em Chiang Mai nos hospedamos em uma casa tipicamente tailandesa, Baan Song Jum (“casa de boas recordações”), e tivemos o prazer da companhia de Nui (ou Mrs Prichard), uma senhora simpática que, assim como seu filho, Pen, nos ajudou muito com várias dicas e conselhos úteis e importantes sobre viagens, passeios e comidas típicas.

Bem em frente à casa, havia um lugarzinho típico, Wang Sing Kham, no qual nos deliciamos por muitos dias com “Roast duck with rice” (50 THB = R$ 5). Ainda nesta rua, havia uma infinidade de cafés charmosíssimos, inúmeras galerias de arte e restaurantes dos mais variados tipos, muitos deles escondidos. Era uma agradabilíssima surpresa quando adentrávamos em algum local e descobríamos uma super varanda, um jardim ou quintal nos fundos da casa, beirando o rio.

Os preços também variavam muito, entre refeições, cafés e lanches. Porém, havia opções para todos. Em nosso primeiro dia, fomos agraciados com uma chuva torrencial que nos obrigou a ficar duas horas dentro de um café/galeria chamado Meeting Room. Lá dentro, enquanto matávamos o tempo, pudemos apreciar obras muito bonitas e interessantes, enquanto degustamos sanduíches caprichados. Ainda assim, tomamos banho de chuva – e de poças jogadas pelos carros – ao voltar para a pousada, na qual chegamos encharcados e imundos.

Havia também – não apenas na Cidade Velha, mas lá principalmente – a sensação de existir um Templo a cada esquina, e era bastante comum cruzar com monges – em suas vestes típicas – pelo caminho. Uma vez, dentro de um táxi compartilhado (o mesmo que um ônibus para eles), tivemos inclusive de trocar de lugar devido à presença de um deles, que, aparentemente, não podia sentar-se ao lado de uma mulher.

Quando visitávamos um dos templos perto de casa, um monge simpático nos abençoou com duas pulseirinhas para dar boa sorte, além de tocarmos por três vezes um grande gongo para reafirmarmos esse desejo e essa bênção. E o melhor de tudo é que todos podem ser abençoados e ter sorte na vida: basta pagar 20 THB (R$ 2)!

Um dos templos que realmente merece a visita é o Doi Suthep, que fica no alto do morro. O caminho sinuoso lembra um pouco o trajeto Usina-Alto da Boa Vista (na zona norte do Rio de Janeiro), e a brisa fresca é mais um motivo para você não deixar de ir. Lá em cima, muito luxo em contraposição à simplicidade do estado meditativo, e uma linda vista.

Os templos são um capítulo à parte e merecem – todos eles – ser visitados. Ou, ao menos, que se visite o máximo possível, pois são todos grandiosos, imponentes e majestosos, cada um à sua maneira.

Outro passeio que fizemos foi o safari tour de um dia. Começa com uma visita a um orquidário, em que ficamos em torno de 15 minutos, e depois fomos até uma vila típica tribal, onde há várias crianças e casas muito pobres. É interessante conhecer como eles vivem, como é feita a comida, a eletricidade por luz solar, as áreas comuns para ver TV e cozinhar.

Seguimos para a tribo das long neck women, onde as mulheres refugiadas do Mianmar usam anéis no pescoço. Quanto mais velhas, mais anéis; porém, eles são tão pesados que os músculos perdem a força e elas não conseguem mais sustentar o peso do pescoço sem esses colares.

Em seguida, fizemos um tour com elefantes – passando por rios e lagos e nos molhando todos – que dura cerca de 45 minutos. Nesse mesmo lugar foi servido o almoço: arroz, verduras com molho agridoce, frango com curry e rolinho primavera, gostoso e not spicy.

Durante a tarde, sob o sol forte e num calor de 35° C, fomos nadar em uma cachoeira e nos aventurar na última e mais interessante etapa do passeio: o rafting no rio. Ainda que estivesse na época da seca e o rio não estivesse tão cheio – logo, a descida não foi tão emocionante -, foi bem animado.

A diversão consistia em ultrapassar todos os botes e molhar todo mundo. Os moradores locais – ribeirinhos – nos esperavam passar para jogar água, desde crianças até velhinhas, que riam sem parar. Foi muito divertido e bonito ver a alegria daquelas pessoas com algo tão simples.

Chiang Mai foi o único lugar em que estendemos nossa passagem por mais de uma semana até agora, e foi ótimo para dar uma relaxada. Charmoso, tranquilo e com diversas opções culinárias e culturais.


Pousada Baan Song Jum 
Endereço: Charoen Rat Rd, เทศบาลนครเชียงใหม่, จังหวัด เชียงใหม่ 50000
Sitehttps://www.airbnb.com.br/users/show/152114
Preço: 900 THB (R$ 90)


Restaurante Wang Sing Kham 
Endereço: Charoen Rat Road


Restaurante The Meeting Room Art Cafe
Endereço: 89 Charoen Radj Road, Opposite of Wat Ket, Chiang Mai City, Chiang Mai 50000, Thailand


Restaurante Huen Phen 
Endereço: 112, Rachamangkala Road, Amphor, Muang, ChiangMai, 50000, 50000, Thailand


Restaurante Oldies Cafe
Endereço: 431, ถนนเจริญราษฎร์, ตำบลวัดเกต อำเภอเมืองเชียงใหม่ จังหวัดเชียงใหม่, 50000 50000, Thailand


Wat Chedi Luang Worawihan
Endereço: 103 Road King Prajadhipok Phra Singh, Muang District, Chiang Mai, 50200, Thailand
Preço: Grátis


Wat Phrathat Doi Suthep
Endereço: Mueang Chiang Mai District, Chiang Mai, Thailand
Preço: 20 THB (R$ 2) elevador + 30 THB (R$ 3) entrada
Site: www.doisuthep.org


Safari Tour
Preço: 1.700 THB (R$ 170)

2 comentários em “Dias felizes em Chiang Mai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s